Preparação para a Aposentadoria

O trabalho ocupa um papel importante na vida do homem, é o principal regulador da vida, visto que organizamos nossos horários, relacionamentos, compromissos, etc. em função dele. Ele também faz parte da nossa identidade, quando nos apresentamos é comum que falemos da nossa ocupação como uma das principais informações a nosso respeito, juntamente com o nome e idade (sou o Pedro, engenheiro, 45 anos, por exemplo).

Às vezes o sujeito pode vivenciar sua aposentadoria como uma ruptura com seu papel social e sua identidade, ao invés de vivenciá-la como um descanso merecido e uma oportunidade de utilizar seu tempo com outras coisas que foram deixadas de lado ao longo da vida em função dos compromissos com a profissão.

Além disso, a aposentadoria vem acompanhada do status de idoso, o que em muitas culturas é sinônimo de sabedoria e respeito, mas na nossa é encarado de forma oposta: alguém sem serventia e ultrapassado, o que pode contribuir para o desenvolvimento de sentimentos de inutilidade, tristeza, ansiedade e em alguns casos até uma depressão.

No processo de psicoterapia é possível desenvolver estratégias para lidar com esta transição, compreender a representação do trabalho, que é singular para cada pessoa, e ressignificar este momento, para que a aposentadoria possa ser vivida como algo positivo e, desta forma, aproveitada como deve ser.

Voltar