Depressão pós-parto

A Depressão pós-parto é um tipo de depressão que acomete mulheres após darem à luz.

No Brasil estima-se que 40% das novas mães desenvolvem esta doença, 10% em sua forma mais grave.

Embora a criança tenha nascido perfeita e com boa saúde, essas mulheres são invadidas por sentimentos de tristeza e melancolia difíceis de explicar. Esta tristeza aparece algumas semanas após o parto e vai se intensificando cada vez mais, tornando difíceis as tarefas mais simples e fazendo com que percam o interesse por quase tudo.

A ansiedade é um sintoma comum e aparece em algumas mães como falta de afeto pelo bebê (acompanhado de autoacusações e culpa) e também relacionada ao bem- estar dele.

Muitas vezes existe uma preocupação de não atenderem à imagem que fazem de uma mãe ideal.

Outros sintomas são: anedonia (perda da capacidade de sentir prazer), fadiga, crises de choro, distúrbios do sono, alterações de apetite, baixa autoestima, desinteresse sexual, isolamento social, sentimento de incompetência, entre outros.

O nascimento de um bebê traz consigo uma mudança radical de papéis, incluindo a necessidade de se ver como adulto e responsável por uma criança. A mãe e o bebê se conhecem muito pouco, ainda não possuem um padrão de comunicação e ela tem dificuldade em distinguir as necessidades de seu filho. Somente com o tempo consegue diferenciar o choro dele (se está sinalizando fome, sede, dor, sono, etc.).

Podemos dizer que é uma relação não-verbal e, por isso, intensamente emocional. Tudo isto possibilita interpretações projetivas por parte da mãe. Por exemplo, o choro do bebê pode ser interpretado por ela como uma agressão, censura e acusação, despertando sentimentos de culpa e inadequação.

Diante do exposto, o diagnóstico da depressão pós-parto torna-se imprescindível não apenas para o tratamento da mãe, mas também para evitar os efeitos negativos sobre a relação mãe-bebê, o que pode prejudicar o desenvolvimento emocional da criança.

O tratamento inclui sessões de psicoterapia combinadas com medicação, dependendo da gravidade do caso.

Voltar